O ano que passou...

Retrospectiva 2017

A partir deste ano, o ‘Correio da Feira’ passa a distinguir acontecimentos, instituições e personalidades, que – no entender da sua equipa de Jornalistas – mais se terão distinguido ao longo dos meses. Trata-se de um apuro democrático, consensual, mas não necessariamente unânime (como acontece já nesta edição) em que a valoração se funda nas perspectivas e sensibilidades individuais. Logo, assumidamente falíveis.

 

Acontecimento Ano

Local – 120 anos do Correio da Feira

É num contexto em que a Comunicação Social, no seu todo, vive momentos perigosamente conturbados; e em que, particularmente, os órgãos de Comunicação Social Regional, estão – na sua quase totalidade – à beira da catástrofe (salvam-se os ‘mesureiros’) que o Correio da Feira comemora 120 Anos de publicação regular. A Presidência da República, o Ministério da Cultura e a União Europeia, já deram mostras de perceber a importância contextualmente histórica da efeméride. Por cá, o sentimento bacoco e o preconceito provinciano, continuam a ditar suas leis…

 

Nacional – Incêndios Florestais

No ano em que a Economia nacional atinge níveis positivos inusitados, erguendo-se da fogueira do ‘lixo’ da notação financeira internacional, e ainda assim, é a tragédia dos Incêndios que continua a marcar a sensibilidade de todos, mesmo de quem escreve. É a emoção a levar a palma à razão…

 

 

Personalidades

 

Política

Local Emídio Sousa

2017 é ano magnificente para Emídio Sousa. Em apenas 4 anos, ele, que chegou quase pé-ante-pé ao cadeirão principal da autarquia, teve tempo para traçar um caminho de clara demarcação do antecessor, Alfredo Henriques; envolver-se decisivamente na recuperação do desastroso (para o município) negocio do Europarque; chegar à presidência do Conselho Metropolitano do Porto; e – ao arrepio do afundamento do PSD nacional – voltar a arrebatar a câmara municipal, desta vez com a mais ampla maioria de sempre.

 

Nacional Mário Centeno

O patinho-feio da equipa ministerial de António Costa, cumpriu o desfecho da história e transformou-se (transcendeu-se) no belo cisne vistoso que o mundo financeiro admira. Naquele seu ar de peixe fora-de-água, tirou a economia nacional do lixo e entra pela porta-grande, no clube dos notáveis de Bruxelas. É ele quem lubrifica a geringonça…

 

Sociedade

Local Maria José Santos

A professora de História que um dia abraçou o desafio de dar projecção ao Museu do Papel, não se limitou a dignificar a aposta pessoal de Alfredo Henriques e fez do ‘seu’ Museu um paradigma de sucesso. O ‘CF’ distingue-a este ano, pelo conjunto da sua obra.

 

Nacional Marcelo Rebelo de Sousa

O incontornável personagem que faz dos ‘afectos’ a bandeira mais unificante de que há memória no país social, veio provar que o mais alto magistrado da Nação, não tem de ser sisudo publicamente (até mal-educado, às vezes); distante, socialmente; arrogante, institucionalmente; nem alinhado politicamente, para ser respeitado, como um Presidente da República tem de o ser. Mas a isso, Marcelo Rebelo de Sousa acrescenta outro factor notável: (mais que) provavelmente, nunca nenhum outro detentor de cargo público foi tão amado neste país.

 

Economia

Local Américo Amorim

Glosando a figuração recorrente: as rolhas de cortiça não nascem nas árvores. E ao contrário do que muitos por esse mundo fora pensam, em Santa Maria da Feira ‘não há’ sobreiros. Mas isso não impediu o génio do homem mais marcante de sempre na economia local, de fundar aqui a sede de um império económico que chega às quatro partidas da Terra.

 

Nacional Américo Amorim

A dimensão empresarial de Américo Amorim (que dizia de si próprio ser “um corticeiro que um dia assinou uma ‘letra de duzentos contos’ para começar a trabalhar”) fez-se (e ainda hoje se faz) sentir em todos os sectores da economia nacional. Mas Portugal não lhe chegava; e o Cônsul Honorário da Hungria – que adorava Paços de Brandão – era recebido e distinguido por figuras de Estado, um pouco por todo o mundo.

 

Cultura

Local Gil Ferreira

Seja qual for a óptica por queiramos aquilatar a acção do vereador da Cultura, é impossível dissociá-lo dos prémios e distinções que a cultura feirense tem vindo a arrecadar. Apesar de algumas medidas e decisões legitimamente questionáveis, Gil Ferreira está na base de um trabalho que muitos projectaram… mas ele faz.

 

Nacional Júlio Pereira

O ‘rocker’ que um dia se converteu ao sortilégio do Cavaquinho – e diz de si próprio que é “estupidamente perfeccionista” – não é apenas um génio, um dos maiores expoentes da música portuguesa, de sempre. É um visionário que acaba de lançar o sublime ‘Praça do Comércio’ e lidera um projecto sustentável, que pretende elevar a prática do Cavaquinho ao reconhecimento, pela UNESCO, como Património Cultural da Humanidade.

 

Desporto

Local Nuno Manta Santos

Ninguém pode ficar indiferente ao trabalho que o jovem treinador desenvolveu à frente do CD Feirense, levando-o, não só à manutenção entre os ‘grandes’ do futebol português, como às cercanias das ‘portas’ para as competições europeias de clubes.

 

Nacional Cristiano Ronaldo

Começa a ser banal, pelo que dispensa encómios. Mas, no contexto, poderia alguém não estar de acordo com a escolha do nome de Cristiano Ronaldo?…

 

Associativismo

Local Voltado a Poente

O que impressiona na associação romarizense, são a convicção, a vontade e o amor com que se entrega à realização de projectos culturais. Sem se pôr em bicos-de-pés, a ‘Voltado a Poente’ assume a legitimidade da defesa do Património Cultural, colmatando falhas de quem tem outras obrigações.

 

Nacional Raríssimas

O escândalo, que, infelizmente, mancha indelevelmente a percepção que temos das IPSS, corre o risco de afinal ser… vulgaríssimo. E sobrevém a tristeza de ver-se que alguém, capaz de por de pé um projecto admirável, não tenha sido capaz de resistir aos apelos mundanos, em prejuízo da sua própria obra.