UF Souto e Mosteirô sempre apoiou o CD Soutense

Em resposta ao artigo aqui publicado na edição n.º 5986 do dia 28 de novembro, com o título “Soutense sem futebol por falta de meios financeiros”, onde o CDS acusa a Junta de Freguesia de “abandonar” e não apoiar o Clube Desportivo Soutense, impõe-se esclarecer o seguinte:

A União de Freguesias de S. Miguel de Souto e Mosteirô (UF) apoia TODAS as associações existentes sem exceção, no âmbito das suas atividades;

Desde que tomou posse o novo executivo que o Clube Desportivo Soutense sempre recebeu apoios financeiros e outros apoios logísticos, nomeadamente em prémios para a prova de perícia e em recursos humanos nas limpezas, entre outros.

Sempre que existe a possibilidade do Clube participar nos eventos promovidos pela UF – angariando fundos com essa participação – a Junta convida-os a participar, como, aliás o faz com todas as outras associações, por forma a promover a participação destas nas actividades organizadas pela Junta e que permitem às associações a obtenção de importantes receitas para o financiamento das suas actividades.

Mais: a Direção do Clube Desportivo Soutense foi incentivada, pelo executivo da Junta de Freguesia, a apresentar projeto para os relvados sintéticos, que seria apoiado pela Junta de Freguesia, na mesma medida dos restantes clubes da UF, com a comparticipação de 12 (doze) mil euros para apoiar, sendo que tanto o Mosteirô FC como o CD Tarei levaram por diante tais candidaturas e as mesmas foram apoiadas pela Junta de Freguesia.

Tudo isto é facilmente comprovado tanto pelas contas da União das Freguesias, como mediante protocolos e atas de assembleias de freguesia, juntamente com os orçamentos aprovados em assembleia de freguesia onde estão os eleitos do CDS, pelo que têm conhecimento de tais apoios e valores.

No que concerne à vida interna das associações o executivo da Junta de Freguesia respeita integralmente a sua independência e autonomia, pois são eleitos pelos seus sócios e nos termos estatutários de cada Associação em concreto. No que se refere às opções do CD Soutense, as mesmas são feitas pela sua direcção, pelo que só estes poderão responder pelas questões concretas da associação, a Junta de Freguesia apoia as associações nos seus projectos e funcionamento, tudo o resto já não é assunto da UF.

Todas as Associações da UF têm levado por diante as suas actividades e projectos, todas com o apoio da Junta de Freguesia e com o empenho dos seus dirigentes, sócios e simpatizantes que as levam a bom porto e ao mesmo tempo tudo se tem tentado para que as mesmas sejam auto-sustentáveis e que consigam levar por diante os seus objectivos.

A Junta de Freguesia tem muito orgulho e prazer no dinâmico, sustentável e pró-activo tecido associativo que logrou criar na União das Freguesias de São Miguel de Souto e Mosteirô e tem toda a disponibilidade para apoiar os seus projectos e iniciativas, seja com apoios financeiros, em espécie ou com colaboração directa.

O teor do artigo do CDS, em nosso entender, revela a impreparação, a falta de conhecimento e até a falta de vergonha de algumas pessoas que da forma correcta de exercer as competências da Junta de Freguesia não têm uma, sequer, pequena ideia e que numa atitude de puro populismo e apenas com vista a criticar por criticar sem qualquer contributo para a melhoria tanto da UF como das associações existentes utiliza uma associação apenas para se tentar valorizar politicamente nada fazendo pela mesma ou por qualquer outra.

Os elementos do CDS não estão preocupados com a situação do Soutense, só se querem aproveitar da menos conseguida actividade desta associação nos últimos tempos para tentar ganhar votos e nada mais. A sua ânsia de protagonismo leva-os até a cometer erros e a referirem factos que não correspondem à realidade, pois referem que o CD Soutense é o clube mais antigo da UF, quando toda a população sabe que o mais antigo é o CD Tarei, embora a Junta trate todas da mesma forma sem querer saber da sua antiguidade. Tal desconhecimento é revelador da qualidade desta e de outras dezenas intervenções dos representantes de tal força política. Poderemos mesmo dizer que “não sabem sequer o que dizem”.

A Junta continuará a acompanhar de perto as associações da UF e a prestar a estas todo o apoio que estiver ao seu alcance, como tem feito ao longo de todo o mandato e bem e com muito gosto dado o vigor do tecido associativo.

Os resultados no apoio ao associativismo da UF falam por si e artigos demagógicos e até desavergonhados em nada contribuem para melhorar seja o que for, mas as incorrecções, a falta de verdade e até a calúnia não podem continuar, sendo estes os recursos frequentes dos artigos publicados pela aludida força política, pelo que iremos ponderar o recurso aos meios judiciais com vista a impedir que a coberto de um nome de partido político se pratiquem tais actos.

 

O Executivo da UF de S. Miguel de Souto e Mosteirô