YogurtNest é um dos projetos da incubadora Amorim Cork Ventures

O ‘ninho’ que produz iogurte

 

O processo é, ao contrário do que possa parecer, bastante simples e a cortiça tem um papel preponderante para o resultado final. Mas o YogurtNest não serve apenas para a produção de iogurte. A utilidade é vasta e já existem, inclusive, veterinários e artesãos a usarem-no. O utilizador pode ainda transformá-lo numa lancheira, mochila ou almofada. A startup nasceu pelas mãos do biólogo Miguel Leal e da engenheira zootécnica Ana Jervis que venceram um dos concursos lançados pela Amorim Cork Ventures.

 

Texto Marcelo Brito*

Fotos Pedro Almeida

 

Em Mozelos, na incubadora Amorim Cork Ventures, desenvolve-se uma iogurteira. O YogurtNest é o grande projeto do biólogo Miguel Leal e da engenheira zootécnica Ana Jervis. Apaixonado por iogurte e pela sua produção, Miguel recorda como tudo começou em 2008. “Tinha uma Bimby. Nas mais antigas, que era o caso, recomendavam embrulhá-la em cobertores durante 12 horas [aquando do processo de cozedura do iogurte]. Eram muitas peças para lavar e não fazia sentido”, recorda o biólogo, que rapidamente decidiu avançar com um projeto próprio.

Faça a sua assinatura e leia os artigos na integra