Centro Escolar de Valrico

“O muro pode desmoronar de um momento para o outro”

SOUTO Aquando da aprovação do auto de recepção definitiva da empreitada do Centro Escolar de Valrico, em Souto, o vereador socialista António Bastos chamou a atenção para o ‘periclitante’ muro de suporte. “Os muros que já existiam não entraram na concepção da obra quando deviam ter entrado. Na execução física da obra, surgiram aterros e as águas pluviais estão a penetrar no subsolo e a fazer pressão sobre este muro construído há 20 anos”, alertou António Bastos.

O muro está “em estado de degradação” e por isso foi colocada vedação com uma distância de cinco metros para que “os alunos não se aproximem”. “Antes de iniciar a obra, deviam ter percebido que os muros precisavam de ser reforçados. Estão inclinados sobre o terreno da escola, podem cair sobre pessoas e bens”, salientou o vereador. Por tudo isto, o Partido Socialista votou contra a recepção do auto. “Os muros oferecem perigo iminente de ruína. A Câmara devia providenciar já um reforço dos muros divisórios”, declarou.

Faça a sua assinatura e leia os artigos na integra