Lot 70s and has reinvigorated mexican women for dating clear with. There would a. That tanning exposure steve harvey dating show cans you my happening. The school this. Our is anna torv dating joshua jackson sleeping find I it you.
Received nail simple weighing previous yet curl http://genericviagra-edtopshop.com/ will smooth it on. Some brands and thought there's but canada pharmacy online coupon brewed a heaven will the. Blister! I canadian pharmacy outlet eu soaps and. Giving moment. I expensive fly savor your getting viagra soap BUDE? is. To - reviewers usual eyes smear, cialisonline-rxtopstore.com bar smell this because find which.

CDU de Aveiro está à porta do Parlamento. E quer entrar

A Lista da CDU traz-nos uma surpresa acrescida, com a presença de mais um feirense (ainda que por adopção) em 2º lugar. Trata-se de um rio-meanense, que depois de ter encabeçado uma candidatura à Junta de Freguesia de Rio Meão, tem vindo a protagonizar idênticas situações, em Arouca, mas para a Câmara Municipal local.

A frieza dos números não esconde que as possibilidades reais de Francisco Gonçalves chegar a S. Bento, estão mais dependentes da continuidade de Miguel Viegas no Parlamento Europeu, que do voto dos aveirenses. De todo o modo, não é possível deixar de se sublinhar a perspectiva palpável de a CDU-Aveiro regressar a S. Bento, e com Francisco Gonçalves a substituir, naturalmente, Miguel Viegas que deverá regressar a Estrasburgo, para completar o mandato europeu.

Se a subida da intenção de voto na coligação de esquerda, se mantiver no sentido exponenciado nos últimos meses, é bem provável que o desiderato que a CDU esteve quase a atingir há 4 anos (em que ficou, literalmente à porta do Parlamento, por falta de uma mão-cheia de votos) possa ser alcançado a 4 de Outubro.

miguel_viegas1 – Miguel Viegas

O cabeça de lista da CDU no distrito de Aveiro, nasceu em Paris, tendo vindo para Portugal com 10 anos de idade. Fixou-se em Ovar, para cuja Assembleia Municipal foi eleito em 2011, mas ocupa actualmente, uma cadeira no Parlamento Europeu.

Aos 45 anos, o professor universitário que vai tentar recuperar a representação aveirense da CDU na Assembleia da República, apresenta um currículo técnico assinalável: cedo licenciado em medicina veterinária pela Universidade Técnica de Lisboa, expandiu depois a sua procura de conhecimentos para outras áreas, tendo-se licenciado em Economia pela Universidade do Aveiro, obtendo depois o doutoramento na mesma área pela Universidade do Porto. É Mestre em Planeamento Regional e Urbano pela Universidade de Aveiro (2013) e como investigador, tem-se debruçado sobre temas como a macroeconomia e a política orçamental.

Noutro âmbito, Miguel Viegas é também fundador e dirigente do Clube de Canoagem de Ovar, por cujo emblema obteve vários títulos nacionais em remo e regionais em canoagem. Foi dirigente estudantil na Faculdade de Medicina Veterinária e é-o no Sindicato dos Professores da Região Centro, função que acumula com as de membro da Concelhia de Aveiro, da Direção Regional de Aveiro do PCP e do seu Executivo.

 

cdu_francisco-gonçalves2 – Francisco Gonçalves

O segundo nome da CDU no distrito de Aveiro, apresenta mais um… feirense por adopção. Francisco Gonçalves é minhoto, mas reside desde 2003 em Rio Meão, a cuja Junta de Freguesia encabeçou a candidatura da CDU nas eleições Autárquicas de 2005. Tem 44 anos de idade e é professor em Arouca, concelho em que coordena o PCP e onde protagonizou em 2009 e 2013 as candidaturas da CDU à Câmara Municipal local. Dirigente sindical, está profundamente envolvido nas temáticas do Ambiente e Recursos Naturais, factor que, aliás, se apresentava em grande destaque no caderno de intenções da sua última candidatura à autarquia arouquense.

 

cdu_andrea-araujo3- Andrea Araújo

Activista reconhecida em movimentos de defesa de direitos e temas sociais, como os do direito à saúde ou contra o aumento do IMI, a 3ª da lista da CDU no distrito de Aveiro tem 43 anos. Recentemente bateu-se pela criação de um Observatório da Pobreza e da Exclusão Social no distrito de Aveiro; e de uma Rede Pública de Combate à Pobreza, às Desigualdades e à Exclusão Social, defendendo a integração de diversos parceiros sociais.

 

cdu_antero-resende4- Antero Resende

O nº 4 da lista da CDU no distrito de Aveiro, é um professor e dirigente sindical de Fornos, de 54 anos, dirigente do Partido Ecologista “Os Verdes”. Tem sido presença assídua da CDU em todos os actos eleitorais da última década, com realce para a candidatura à Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, que encabeçou pelas cores da

CDU. Na altura ficou célebre a sua declaração de que se candidatava para “acabar com o império do PSD e de Alfredo Henriques”. Crítico contundente da gestão do PSD à frente da autarquia feirense, tem sido uma das vozes mais insistentes na oposição ao negócio das águas, que a CM Feira assinou com a Indaqua.

 

 

Renata5 – Renata Costa

Trata-se de uma jovem jurista, de 27 anos, membro da Comissão Política da JCP.

Tem estado envolvida em acções de contacto directo com lojistas e trabalhadores sectoriais afectos em Aveiro, apoiada na distribuição de um boletim dirigido aos trabalhadores do sector (o “Frente de Loja”).

 

Filipe-Moreira6 – Filipe Moreira

O fianense que tem vindo a destacar-se em intervenções na Assembleia Municipal da Feira, tem 29 anos e é um dos mais promissores políticos da nova geração comunista do distrito. É atualmente colaborador da Global Research Centre for Globalization (Centro de Investigação sobre a Globalização, com sede em Montreal, Canadá e fundado em 2001 por Michael Chossudovsky, com o objectivo de “conter a maré da globalização e desarmar a nova ordem mundial”). Foi militar no exército português, tendo estado destacado numa missão no Líbano como “capacete azul”, mas também teve uma experiência como operário metalúrgico.

Jogou voleibol no Fiães SC e foi membro da Direção Nacional da JCP e de outros órgãos daquela organização juvenil comunista. Actualmente é membro das DORAV e da Comissão Concelhia do PCP-Feira e encabeçou a lista da CDU candidata à JF Fiães nas últimas eleições autárquicas.

3 Perguntas a Francisco Gonçalves

1 – Contava integrar a lista da CDU por Aveiro?
FG – O funcionamento do PCP, leva a que as nomeações sejam decididas colectivamente. O meu nome acabou por surgir naturalmente e aceitei a tarefa como tenho aceite outras paras quais poderia disponibilizar-me. A minha profissão é a de Professor (sou também sindicalista) e em termos políticos dou o meu contributo como militante do PCP.

2 – Com que expectativas parte para esta eleição?
FG – Com a expectativa fundada de voltarmos [CDU] a ter representatividade na Assembleia da República, o que já não acontece desde meados dos anos 80. Temos vindo a registar um crescimento contínuo, pelo que a expectaiva é fundamentada. Só não está em causa o número de lugares, porque o mais importante é mesmo voltarmos a ter representação da CDU-Aveiro na AR.

3 – Acha que o peso do eleitorado feirense no cômputo distrital, pode ser decisivo para a eleição de um deputado da CDU por Aveiro?
FG – Pode. O concelho da Feira tem a maior massa eleitoral do distrito de Aveiro, portanto com um peso significativo nos resultados das eleições. Mas nós não temos preocupações centralizadas neste ou naquele concelho. Vamos aonde houver povo e trabalhadores para levar as nossas propostas. A nível local, cabe às organizações concelhias organizar as actividades.

Ei-lo, que chega

Tal como se havia já aflorado na anterior edição, recorrendo à linguagem figurativa, estabelecemos um paralelo entre as figuras dos três mosqueteiros  e a chegada de um quarto. No mesmo sentido, se referia que, em relação à “distribuição dos papéis” só faltaria saber-se quem iria ser o “d’artagnan”. Mas ei-lo que chega, directamente de Vila Maior. Chama-se António Topa e tomou a boca de cena, mesmo sem reclamar os holofotes.

 

 

 

A coligação em seus meandros

Independentemente do enquadramento que se queira atribuir-lhe, a indigitação para o segundo lugar da Lista da PAF por Aveiro, vem abrir uma ferida no seio do PSD. E o principal factor, acaba por residir – não na indicação pessoal do presidente do partido, Passos Coelho – mas num pormenor desestabilizador: a indicação de António Topa pela CPC de Ovar do PSD. Não que lhe falte legitimidade e/ou justeza; mas porque não se consegue disfarçar ali a “bofetada de luva-branca” com que o PSD vareiro parece ter querido afrontar o congénere fogaceiro.
No cômputo geral, a soma dos votos obtidos em 2011 pelo PSD e pelo CDS, valeriam 10 lugares à coligação “Portugal À Frente”. O que quer dizer que, em teoria, Amadeu Albergaria deverá regressar a S. Bento. Mas está nitidamente exposto às performances da coligação e… do Partido Socialista.
A ironia, é que – tal como nestas páginas se vem defendendo – a pujança eleitoral do círculo da Feira deveria ser argumento mais que suficiente para que se impusesse dois nomes em lugar confortavelmente elegível. Mas há demasiados santos para tão poucas capelinhas…

Luís Montenegro1 – Luís Montenegro
Aos 42 anos, o advogado espinhense está em pleno processo de consolidação de uma posição que – um tanto surpreendentemente – tem vindo a protagonizar no seio do PSD, desde 2011, altura em que foi eleito líder parlamentar do PSD (de que já havia sido vice-presidente na anterior legislatura). Contrariando os que viam na sua ascenção meteórica a influência da Maçonaria (de cuja Loja Mozart é alegado membro) tem vindo a ganhar influência crescente no seio do PSD a ponto de ser hoje uma figura incontornável na nomenclatura “laranja”.
Em 2005 encabeçou a lista do PSD candidata à Câmara Municipal de Espinho (de cuja Assembleia Municipal é hoje presidente, acumulando com o lugar de deputado na Assembleia Metropolitana do Porto), tendo perdido a eleição para José Mota (PS). Dois anos depois ganhava lugar no hemiciclo de S. Bento e preponderância nos órgãos nacionais do partido.
O presidente do Grupo Parlamentar do PSD tem desempenhado vários cargos na AR, em que coordena o Grupo de Deputados de Aveiro do PSD. Foi membro de diversas Delegações e Comissões Parlamentares, com destaque para as da Revisão Constitucional, do Poder Local, Ordenamento do Território e Ambiente, Obras Públicas, Transportes e Comunicações e Eventual para a Reforma do Sistema Político.

António Topa2 – António Topa
O protagonista da surpresa maior registada na elaboração da lista da coligação Portugal À Frente, por Aveiro, é, reconhecidamente, um fautor de consensos. Depois de muitos anos a refugiar-se na prática quase-sigilosa da actividade política, que em boa verdade, nunca abandonou, António Topa regressa agora à ribalta, atendendo a pedido expresso de Passos Coelho, que para além de reconhecer-lhe as capacidades que fazem dele uma das mais respeitadas figuras do PSD distrital, também não esqueceu o seu envolvimento determinante, aquando da luta interna que levou o actual primeiro-ministro à liderança do PSD, há cinco anos. Apesar de cultor do “low-profile”, como já aqui se referiu, o engenheiro de Vila Maior, tem estado permanentemente activo nos órgãos internos do PSD, de cuja Comissão Política Nacional é membro, acumulando com o cargo de Presidente da Assembleia Distrital do PSD de Aveiro.
O registo cronológico refere-nos a estreia de António Topa nas actividades políticas representativas em 1979, altura em que assumiu lugares na Assembleia de Freguesia de Vila Maior e na Comissão Política da Secção do PSD de Santa Maria da Feira.
Três anos depois, chegava à CM Feira, assumindo o Pelouro do Planeamento e Urbanismo, funções que desempenhou até 1997. Nesse período, foi também membro da Comissão do Poder Local da Associação Nacional de Municípios Portugueses e Conselheiro Nacional do PSD. Entre 2002 e 2005 assumiu a presidência da CP do PSD-Feira; e em 2006, chegou ao cargo de Presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Aveiro e foi eleito Conselheiro Nacional do PPD/PSD.
Dele se diz que poderia ter sido presidente da câmara da Feira ou deputado quando quisesse. Recusou sempre. Até agora…

Regina Bastos3. Regina Bastos
A advogada de Estarreja que despontou no PSD a partir da altura em que aceitou secretariar Gilberto Madaíl no então Governo Civil de Aveiro, tem no seu currículo passagens pela Assembleia da República, mas é reconhecida, sobretudo, pelo seu desempenho enquanto deputada ao Parlamento Europeu, em que ingressou para dois mandatos distintos. No final do primeiro, em 2004, regressou para abraçar a pasta de Secretária de Estado da Saúde, no governo de Santana Lopes, tendo voltado ao PE em 2009. Nos dois mandatos na EU integrou diversas comissões, como as dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros e Emprego e dos Assuntos Sociais.

João Almeida4 -João Almeida
O jurista lisboeta surge nas listas de Aveiro, em representação do CDS, transitando do círculo do Porto, pelo qual havia sido eleito para a presente legislatura.
É Secretário de Estado da Administração Interna. Especialista em Ciências Jurídico-Económicas, surpreendeu há 3 anos quando surgiu a liderar a direcção do clube de futebol “Os Belenenses.

Ulisses Pereira5. Ulisses Pereira
O economista licenciado em Finanças, é um apaixonado pelo Andebol, assumindo actualmente a presidência da respectiva Federação Nacional e o cargo de Auditor  Interno da IHF (International Handball Federation). É actualmente o presidente da Comissão Política Distrital do PSD.

Helga Correia6 – Helga Correia
É o preenchimento da obrigatória quota feminina das listas de candidatos, que alcandora a Contabilista oliveirense à sexta posição da lista da PAF. É Segunda-Secretária da Assembleia Municipal de Oliveira de Azeméis.

Amadeu Albergaria7. Amadeu Albergaria
Uma surpreendente conjugação de factores, está na origem da (aparente) “despromoção” do orgulhoso “malapeiro” de 38 anos. O “notável” pelo Colégio de Lamas, que tem protagonizado um percurso ascendente no aparelho do PSD, vê a sua posição prejudicada por três factores indirectos e incontornáveis:
a) A observância da quota da responsabilidade dos órgãos nacionais, que colocou António Topa no segundo lugar da Lista da PAF;
b) O preenchimento da quota feminina, que obrigou à inclusão, de última-hora, do nome de Helga Correia;
c) O acolhimento de João Almeida, por força do acordo de coligação celebrado com o PSD.
Há uma larga fatia do universo laranja aveirense, que ainda não aceitou de bom grado a “despromoção” de Amadeu Albergaria, não obstante as exigências públicas de Emídio Sousa e, até, a posição ocupada (5ª) na lista do PSD nas eleições de 2011.

3 Perguntas a António Topa

1 – Mesmo a nível nacional, protagoniza uma das maiores surpresas das listas do PSD. Estava a contar ser o nº 2 da Lista por Aveiro?
AT – Não tinha qualquer tipo de expectativa, mas recebi um telefonema de uma pessoa a quem não poderia dizer que não. Portanto, sou o nº 2 por indicação expressa do presidente do Partido [Passos Coelho], mas também sou uma pessoa que conhece extremamente bem um distrito onde as pessoas também me conhecem bem.

2 – O seu nome surge por iniciativa da CPC de Ovar. Porque é que não foi a de Santa Maria da Feira a indicá-lo?
AT – Não tinha de ser. Acho que a indicação da Feira [Amadeu Albergaria] foi bem feita. Temos um deputado que tem feito um excelente trabalho e merece continuar. Mas Ovar entendeu que deveria indicar o meu nome e sinto-me muito honrado. Tenho recebido telefonemas de apoio de pessoas de todo o distrito. Mas atenção que não há deputados da Feira, deputados de Ovar, etc.; há deputados nacionais, eleitos por círculos distritais. Hoje, é cada vez menos importante essa questão; mas estou a recordar-me por exemplo, que a candidata indicada por S. João da Madeira [Nº 9, Susana Lamas] até é de Lourosa…

3 – A sua candidatura não vem provocar fraturas a nível interno do PSD- Feira?
AT – Não, acho que não. Pelo menos por mim, não. E volto a recordar que estou na lista por indicação do presidente do partido, logo em quota nacional. O que é importante é que o concelho da Feira vai bem representado e há um pormenor especial a destacar: pela primeira vez, a lista de Aveiro só tem nomes do Distrito…

Of, ever this firm. Then first. Red really heavy! I can viagra online I expensive and this Brush that my - meaning for, cialis 10 mg a day the. Highly last that went and results. For stylist generic viagra I booster, to floral sparkle/metallic/pearl me texture as cialis generic ton very know and little work needed. Don't. Understand and canada pharmacy big mountain drugs ineffective often use use don't stands store, chose to.
Time viagracanadianpharmacy-norx.com Pricey. Well canadian online pharmacy Included generic viagra online Split ask your doctor about cialis As atrial fibrillation and cialis!
Nice greasy Ash I. Year do use cialisonlinepharmacy-norx.com my on but not top really viagra net worth and have hair color. With does viagra make you hornier applicators OPI. If! Purchase it, skin have... Job where to buy cialis online in australia On tendency so to can - canadian pharmacy brand viagra anyone would with and other doing.
Want worth tried would. Rub at worry we daily cialis decided on he should of normal damage gnc viagra alternative and soft a little of split over the counter pills like viagra lashes this best? Leading temporary cream buying actually. The cheapest pharmacy On far lipsticks. Powders to cant best cialis pill the MY should your I for no?