Catalunha e Espanha

Catalunha, com a sua imponente capital Barcelona, sempre foi um problema para Espanha, desde a sua criação.

No tempo do ditador Franco, quando este visitava Barcelona, as universidades fechavam.

Com a democracia, Espanha encontrou um modelo de autonomias regionais que não agradou a todas as regiões. Com luta armada e atentados pelo meio. Nas urnas, há anos os catalães deram a vitória aos independentistas. A partir daí, nunca mais houve sossego para o governo de Madrid.

Madrid e Barcelona sempre competiram. O futebol é a expressão maior. O PIB da Catalunha representa muito para Espanha. É maior do que o de Portugal.

É evidente que os excessos têm que ser evitados. Forças policiais armadas com excesso de violência sobre cidadãos indefesos não é coisa que beneficie um país democrático. Uma região que decide revoltar-se contra o seu país, desrespeitando a Lei e a própria Espanha, também não está bem, nem respeita a democracia.

Dizem os catalães que Espanha não lhes dá a independência porque precisa dos seus impostos, da sua economia. Não querem pagar para as regiões pobres e para o país. Falta de sentido de solidariedade?! Diria que, hoje como ontem, conscientes de que não precisam de Espanha, os catalães nunca na sua história se sentiram espanhóis.

Catalunha bem sabe que não pode ser um país independente. A Eurolândia seria solidária com Espanha, como mandam as regras. Não sobreviviam. Mas, Espanha vai ter que encontrar outro modelo para as suas Regiões Autónomas.

Eduardo Costa,

Jornalista e Presidente da Associação Nacional da Imprensa Regional