MANIPULAÇÃO DA REALIDADE

Sete pessoas por dia morreram no ano passado à espera de cirurgia. Dos quais, mais de duas centenas com cancro. Preocupante.

A obsessão dos governantes está na Estatistica, nos números. Desde que estes sejam bons, mesmo que manipulados, estamos todos felizes. Infelizmente.

O ano passado, foram apagados 234 mil cidadãos das listas de espera. Os números ficam lindos. E todos ficamos felizes. O importante são os números.

Hospitais há que não aceitam inscrições para consulta, dizendo que não tem previsão de vaga. E assim não ficam registadas na lista de espera.

Tantos outros casos vão sendo conhecidos. E muitos mais haverá, que não vem ao conhecimento público.

Assim, uma administração de serviços do Estado que manipule bem a realidade terá altos louvores de bons gestores e sobem na carreira!

Mas a saúde está longe de ser o único exemplo de formas de manipulação de números. Muitos cidadãos recebem na caixa do correio (a que não tem acesso durante dias) cartas avulso para se apresentarem no Centro de Emprego. Mesmo que tenham fornecido um email para serem informados, com o pedido respetivo. Como tem até cinco dias para justificar a falta, saem da lista de desempregados à procura-se emprego. Assim se reduz o número de desempregados à procura de emprego.

Não fossem as mortes e o sofrimento, a questão da manipulação dos números e da Estatistica não seria tão grave. Mas, esta esconde a verdade, a incompetência, a escassez de meios, humanos e técnicos.

A realidade, essa, só quando morrem mais de uma centena nos incêndios é que vem ao de cima. Infelizmente.

EDUARDO COSTA, Presidente da Associação Nacional da Imprensa Regional