“É a beleza que nos salva”

 

João Andrade e Silva é um empresário feirense com um grande projecto em mãos: revitalizar a aldeia de Felgueiras, em Alfândega da Fé. Desafiado por uma grande amiga, que nasceu na pequena aldeia, redecorou a sua propriedade e comprou, ele próprio, alguns terrenos, com o objectivo de aumentar a população de apenas nove habitantes e evitar que pedaços de história se percam no tempo.

Texto Daniela Castro Soares

Fotos Diana Santos

Quase duas horas de caminho, de Santa Maria da Feira até Alfândega da Fé, entre curvas e contracurvas e paisagens de tirar o fôlego, chegámos à pequena aldeia de Felgueiras, parada no tempo. Há ruas em que mal passa um carro, rebanhos e burros, e vê-se poucas pessoas. Não admira, pois esta aldeia, que já chegou a ter 600 habitantes, hoje sobrevive com apenas nove. É um dos exemplos da desertificação do interior, que vê os seus naturais fugirem para as grandes cidades. Mas nas grandes cidades não há isto, este silêncio, este verde de perder de vista, esta tradição com raízes centenárias. “Tem um íman próprio, uma energia própria, está vivo”, diz João Andrade e Silva, um defensor acérrimo do respeito e amor pela Natureza. “Acordas com esta vista e sentes a tua importância cósmica”, afirma.

Faça a sua assinatura e leia os artigos na integra