30.º Aniversário do CASTIIS

“Não é possível funcionar bem sem bons funcionários e pessoas aplicadas”

 

Depois do 30.º aniversário do Centro de Assistência Social à Terceira Idade e Infância de Sanguedo (CASTIIS), o presidente Alberto Malta revela o que está por trás de três décadas de sucesso entre a comunidade. Orgulha-se de presidir uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) com autonomia financeira em constante expansão e requalificação e fala ainda do pioneiro, exigente e sensível programa ‘Cuidar de Quem Cuida’.

 

Marcelo Brito*

marcelo.brito@correiodafeira.pt

 

SANGUEDO O Centro de Assistência Social à Terceira Idade e Infância de Sanguedo (CASTIIS) comemorou, a 1 de outubro, três décadas de serviço que preenche algumas carências da comunidade, mas não só. Estivemos à conversa com o presidente daquela que é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) com oito respostas sociais e, mais recentemente, com 1.º e 2.º Ciclo no Colégio Santa Eulália. Alberto Malta explicou que o trabalho de bastidores é feito para que os bons resultados sejam uma constante.

“A evolução tem sido muito gratificante e positiva. O sucesso é conseguido com muito esforço e empenho, principalmente da diretora-técnica [Madalena Malta], uma pessoa exigente. É à custa da exigência e do rigor de toda a equipa que a instituição tem mantido a qualidade. Consideramos essenciais as linhas traçadas de exigência e rigor para dar uma gestão empresarial ao CASTIIS. A sua atual dimensão permite a existência de departamentos de Recursos Humanos e Contabilidade próprios. Temos os setores perfeitamente definidos, organizados e compartimentados”, desvenda Alberto Malta, membro da Comissão Instaladora do CASTIIS.

Faça a sua assinatura e leia os artigos na integra