O meu filho está de férias! E agora?

O começo das férias de verão e o final das aulas têm um impacto positivo tanto para as crianças como para os pais. As crianças pensam “finalmente vou poder descansar, vou poder ter tempo para brincar, para fazer o que gosto!” Já os pais percebem que o fim das aulas se traduz no fim das preocupações a nível de cumprimentos de horários, das correrias matinais, da preparação de lanches, mochilas e principalmente simboliza o fim da guerra aberta face aos trabalhos de casa. No entanto, no seu íntimo têm também a noção de que o início das férias incita o início de novas preocupações “O que é que o meu filho vai fazer? Com quem vai estar?” E não serão estas preocupações mais difíceis de gerir do que as preocupações que já estão inseridas na rotina escolar de todos os dias? No fim de contas, enquanto as crianças estão na escola, os pais sabem (ou acreditam) que os filhos estão num contexto protegido, supervisionado, estão orientados nas suas tarefas e que por esse facto não têm que parar para pensar sobre esse facto.

O cenário de férias com a família toda junta torna-se cada vez mais utópico, pelas circunstâncias laborais a que os pais/cuidadores estão sujeitos. Dificilmente se consegue reunir a família para terem Faça a sua assinatura e leia os artigos na integra