7 de Janeiro de 2019

Mudar sem perder a identidade

O fim de 2018 significou igualmente o fim de um ciclo no Correio da Feira. Um ciclo com a direção de Orlando Macedo e que eu tive o privilégio de acompanhar, juntamente com os jornalistas Daniela Castro Soares (também ela de despedida do jornal) e, mais recentemente, Marcelo Brito, sem esquecer toda a restante equipa (totalmente profissional) e administração que se mantém em funções e teve um papel identicamente fundamental para chegarmos até este patamar. Foram quatro/cinco anos de crescimento, evolução, mas também de sofrimento, dificuldades e até condicionamentos, mas que não nos impediram de, por exemplo, conduzir este centenário a celebrar 120 anos com uma pujança sem precedentes (desculpem a ousadia) e que culminou com a atribuição do Prémio Gazeta - Imprensa Regional, pelo Clube de Jornalistas.
Na hora de assumir a direção do Correio da Feira, honra que a administração decidiu atribuir-me, gostaria de agradecer ao Orlando e à Daniela e prometer-lhes que tudo farei para que este ‘novo’ Correio da Feira continue a ter um pouco das suas assinaturas. Podem os leitores esperar novidades, mas sem que nunca abdiquemos da identidade Correio da Feira, norteada por princípios de ética e responsabilidade. Ciente da honra e responsabilidade que me é atribuída, baseio-me na confiança que tenho na equipa que agora me acompanha para garantir que os leitores continuarão a sentir orgulho deste semanário, que é indubitavelmente também o semanário dos feirenses.

 

Nélson Costa
Diretor

Próximo
}